Ópera Bufa - Artigos - Bifútil People - Cadastre-se - Direitos - Dr. Carneiro - Frases - Livros - Max - Palestras - Pau de Arara - Zine


OS PAIS ESTAVAM CERTOS

Adeus, querida

Caro colega do Blog da Sarah, acabou a novela. A pobre moça finalmente morreu. Tadinha, era muito sofrimento, não é mesmo? Eu não sei o que faria no lugar dos pais dela. Provavelmente a mesma coisa. Até porque eu acredito em milagres. Nunca se sabe, não é verdade? Quantos casos a gente já não ouviu falar de pessoas desenganadas por médicos que se reestabelecem e ficam curados?

Se meu querido filho tivesse um problema assim (bate na madeira) eu provavelmente gostaria de mantê-lo vivo. Mesmo que todos os médicos do mundo me dissessem que não haveria mais esperança. E quem são os médicos para falar de esperança? O que eles entendem de fé de mãe? O que eles sabem de milagres nascidos do amor? Nada, claro.

Mãe não está nem aí para a ciência. Mãe não se importa com o que pode ser provado cientificamente. Mãe ignora solenemente a opinião dos médicos que, no final das contas só conhecem uma pequena parte do nosso corpo. Mãe não quer saber de estatísticas, pesquisas com células-tronco ou opinião de juristas, religiosos e pessoas comuns. Mãe só quer saber do amor pelos seus filhos e isso é muito mais forte que todas as provas em contrário. Mãe é mãe.



 Escrito por Sarah Szklo, mãe orgulhosa às 13h46
[Comente] [envie esta mensagem]




DA POLÔNIA PARA O MUNDO

Caro colega do Blog da Sarah, de uma coisa você pode ficar certo: o polonês é um povo resistente. Veja o Papa, por exemplo. Luta diariamente contra a morte e se recusa a desistir. Como pertenço à uma outra religião, não vou entrar na discussão se ele deveria ou não renunciar. Não é da minha conta. Só gostaria de fazer um paralelo entre meu querido e amado filho com a autoridade máxima da Igreja Católica.

Não sei se você sabe, mas o nosso sobrenome, Szklo, vem da Polônia. O pai do meu idolatrado nasceu lá, mas veio para o Brasil ainda criança. Uma palavra tão complicada para a lingua brasileira é uma coisa muito simples na Polônia. Szklo quer dizer vidro. Meu filho querido vive dizendo: "Se szklo é vidro, imagine então como se fala peremptoriamente em polonês!".

Pois bem, eu não tenho sangue polonês, mas meu filhote tem. Como o Papa, ele é determinado, resistente, branquinho e careca. Mesmo atacado por uma doença agressiva, não desiste nunca. Olhando bem, se o Papa usasse óculos ficaria bem parecido com meu precioso.  As orelhas dele são um pouco maior. E os dois ficam muito elegantes de branco.

Apesar de ser um santo, acho difícil meu filhote vir a ser um papa um dia. Judeu, já foi casado e imagino que teria um problema com o celibato. Mas acho que ele seria um ótimo papa. Imagine a alegria de uma mãe em ter um filho papa. Seria maravilhoso, não é mesmo?

Bom, não adianta sonhar com o impossível. O máximo que eu posso esperar é que um dia ele se transforme num outro tipo de papa: o papa do humor. Espero ver muita fumacinha branca saindo daquela cabeça provilegiada.



 Escrito por Sarah Szklo, mãe orgulhosa às 12h18
[Comente] [envie esta mensagem]




LANÇAMENTO DO MINUTOS DE ESTUPIDEZ

   

  

  

Caro colega do Blog da Sarah, o lançamento do novo livro do Doutor Carneiro foi um sucesso. Principalmente porque ele não esteve presente e quem recebeu todas as homenagens foi o meu querido filho.



 Escrito por Sarah Szklo, mãe orgulhosa às 10h23
[Comente] [envie esta mensagem]




NINGUÉM É DE FERRO?

Nós, robôs?

Caro colega do Blog da Sarah, está chegando mais um filme de animação computadorizada que promete ser o maior sucesso. Os americanos realmente sabem fazer isso. E têm dinheiro suficiente para realizar, claro. Sem o dinheiro as boas idéias seriam apenas boas idéias.

Ainda não vi o filme mas assisti ao trailer e me ocorreram alguns pensamentos curiosos. Este filme vai fazer o maior sucesso porque vamos nos identificar com os personagens. Não porque eles sejam humanos, mas, ao contrário: porque nós nos transformamos em robôs.

A vida moderna faz com que nos comportemos como verdadeiras máquinas. E, como tais, ficamos descartáveis quando superadas tecnologicamente. O sentimento e a emoção viraram moedas valiosas, mas apenas no mercado de entretenimento. Na vida real, são desprezados e considerados fraquezas.

Hoje em dia tudo é tecnologia, até nosso comportamento. As pessoas são iguais (no mal sentido da palavra), têm os mesmos desejos, as mesmas fantasias, os mesmos sonhos, as mesmas frustrações. Parece que saímos todos de uma linha de montagem de uma fábrica. Pior: os que não passam pelo controle de qualidade, sou seja, aqueles que não pensam igual, são hostilizados e descartados do processo.

Nem sei como um desenho animado foi me trazer tantos pensamentos pessimistas, mas nos dias de hoje quem não os têm, não é verdade?



 Escrito por Sarah Szklo, mãe orgulhosa às 11h40
[Comente] [envie esta mensagem]




BAIXA POR LÁ!

Caro colega, na próxima terça-feira vai ter o lançamento do segundo livro do Doutor Carneiro, o MINUTOS DE ESTUPIDEZ. São 280 pensamentos para acabar com seu dia. Eu acho uma bobagem sem tamanho, mas se for pra ajudar o meu filho querido, eu dou a maior força.

O Doutor Carneiro é um espírito de porco agridoce que de vez em quando baixa no meu filho pra escrever sobre autodestruição. Meu filho não gosta nada disso, mas não tem o que fazer. Pelo menos ele fica com o pagamento dos direitos autorais.

Você, que é frequentador do meu blog, está convidado.

Ah, quem comprar o livro lá, vai ganhar um chopp. Vê se aparece, hein?

Dia 22/03, terça-feira, a partir das 19h30, No Bar Balcão.
Rua Doutor Melo Alves, 150, São Paulo.

Espero você lá!



 Escrito por Sarah Szklo, mãe orgulhosa às 17h30
[Comente] [envie esta mensagem]




TAL MÃE, TAL FILHO

Blogs muito legais!

Caro colega do Blog da Sarah, estou muito feliz. Olha só o destaque que o pessoal maravilhoso do UOL deu ao meu blog e ao Blônicas, onde meu filho amado escreve todas as sextas-feiras. Que maravilha! Os dois juntinhos assim é para deixar um coração de mãe apertadinho, não é mesmo? Foi a realização de um sonho. Está desde sexta-feira até hoje. Muito obrigada, meus queridos amigos do UOL, de coração!



 Escrito por Sarah Szklo, mãe orgulhosa às 12h44
[Comente] [envie esta mensagem]




DE PIJAMAS E PANTUFAS

Castigo?

Caro colega do Blog da Sarah, esta história do Michael Jackson me lembrou de um fato ocorrido há muitos anos, quando meu filho amado era criança.

O Henrique era daquelas pessoas difíceis de acordar, que você precisa ficar chamando mil vezes para ela levantar. Principalmente se a razão para levantar fosse ir para a escola, coisa que ele nunca gostou muito.

Pois bem, naquele dia eu e o pai do Henrique perdemos a paciência com ele. Não acordava de jeito nenhum. A solução foi radicalizar. O pai do Henrique levou ele no colo até o carro e o colocou lá, de pijamas. Ao lado, deixou o uniforme da escola. Feito isso, anunciou para o sonolento: "Eu vou te deixar na escola. Você escolhe como vai estar vestido".

E, é claro, que o menino rapidamente despertou e trocou de roupa ali mesmo, dentro do carro. Psicologia infantil aplicada funciona.

Com relação ao Michael Jackson, deve ter acontecido a mesma coisa: ele não queria ir pro tribunal. Alguém o colocou no carro e disse que o deixaria lá assim mesmo. Mas Michael não se deixou ameaçar. E ficou de pijama mesmo. É, às vezes a psicologia infantil não funciona. Depende da criança.



 Escrito por Sarah Szklo, mãe orgulhosa às 13h23
[Comente] [envie esta mensagem]




PARABÉNS PRA NÓS!

Cara colega do Blog da Sarah, hoje a mensagem é dedicada especialmente a você. É claro que eu acredito que todo dia é dia da mulher, mas já que instituiram uma data comemorativa, vamos aproveitar!

Hoje é dia de recebermos flores, de sermos homenageadas, lembradas e reverenciadas, mesmo que (volto a dizer) a gente deva ter este tratamento todos os dias. Mas os homens são muito pragmáticos. Eles precisam destas convenções e de datas específicas para celebrar as coisas. Mas tudo bem, na falta de coisa melhor, ficamos com os homens mesmo. Quem sabe se a vida não seria até meio aborrecida se fôssemos tratadas todos os dias como somos hoje? Talvez perdesse a graça. Não teríamos do que reclamar, teríamos um assunto a menos para as nossas conversas e provavelmente lutaríamos pelo direito de ter um dia que não fosse nosso. Como sempre, amiga, insatisfeitas.

Meu filho adorado por enquanto não se manifestou. Até já falou comigo pelo telefone mas nem tocou no assunto. Será que ele não vai se lembrar? (Outro problema masculino: mesmo tendo um dia especial, eles esquecem). Mas tudo bem. O importante é que ele seja feliz. Afinal de contas, o maior presente que uma mulher pode receber é a felicidade de seus filhos.



 Escrito por Sarah Szklo, mãe orgulhosa às 12h49
[Comente] [envie esta mensagem]




COMIDA PARA PORCOS

Caro colega do Blog da Sarah, você sabe que eu sou uma pessoa otimista, mas às vezes fica difícil de entender o comportamento humano. As torcidas do Palmeiras brigando entre si foi uma das coisas mais inexplicáveis que vi nos últimos tempos. Gente, nós estamos perdendo o controle. Há uns dias atrás falei do trote violento e agora isso. Sem contar os arrastões, os seqüestros, estamos vivendo mesmo um estado de guerra civíl.

Eu acredito, sinceramente, que a maioria das pessoas são pacíficas e honestas. É claro que a gnete tem sempre uma ou outra iniqüidade, um ou outro defeito, mas isto é normal. Estou falando é da porcentagem (que parece estar aumentando) dos animais irracionais convivendo entre nós. Tenho certeza, inclusive, que eles não têm nem responsabilidade nem culpa pelo que são. Não devem ter sido amados pelos pais, são massacrados pela sociedade de consumo e acabam estravazando todas as suas frustrações e complexos de inferioridade em atos de violência contra outros seres humanos.

Num momento de humor negro, vi a foto acima e imaginei este trator chegando à delegacia onde estavam presos os torcedores violentos e o carcereiro gritando: "Chegou a bóia!". Nem sei como consigo pensar nessas coisas.

Independente do que os leva a agir desta forma, eles continuam sendo animais. Não quer dizer que tenhamos que tratá-los mal de volta, até porque sou defensora de um tratamento digno e carinhoso com todos os animais.

Meu filhote amado, por exemplo, é que às vezes também perde a cabeça e fica agressivo. Não fisicamente, mas com as palavras. Já cansei de falar pra ele que isso talvez seja até pior, machuque mais. Ele concorda, mas sempre usa a desculpa de que tem um defeito de fabricação. Ah, meu adorado animalzinho...



 Escrito por Sarah Szklo, mãe orgulhosa às 10h38
[Comente] [envie esta mensagem]




CHICO NA PRAIA

Meu ídolo!

Caro colega do Blog da Sarah, não deve ser nada fácil ser famoso, bonito, inteligente e talentoso. Vou até perguntar para meu amado filho como é que ele se sente. De qualquer maneira, vejam o exemplo do Chico Buarque. O pobre rapaz não pode nem ir à praia sossegado com uma amiga que já tem uma porção de urubus em cima. Deixa o menino sambar sossegado!

Estão dizendo por aí que a moça é casada. E daí se for? Gente, é o Chico Buarque! Quem é que não se dobraria aos encantos deste homem? Quem nunca se imaginou tendo uma cena de amor com um grande ídolo que atire a primeira aliança. Não quero aqui ficar defendendo a infidelidade, mas que a situação da mocinha não é fácil, isso não é mesmo.

Só espero que o marido da menina não seja muito violento e não estrague o rosto lindo do nosso amado Chico. Ah, se eu fosse uns 30 anos mais jovem...



 Escrito por Sarah Szklo, mãe orgulhosa às 12h36
[Comente] [envie esta mensagem]




MODAS E MODISMOS

Você está na moda?

Caro Colega do Blog da Sarah, hoje em dia as pessoas estão cada vez mais embarcando nas modas e nos modismos, não é verdade? Dá até a impressão de que ninguém mais faz uma análise pessoal, uma reflexão honesta sobre seus usos e costumes, apenas compra o pacote pronto. A mídia onipresente com certeza tem uma parcela de culpa nisso. Hoje você não precisa adivinhar o que é legal. Basta consultar os programas de TV, o rádio, a internet. Está tudo lá. Ser legal é... e lá vem uma série de leis e dogmas que só os mais descolados têm direito de professar, ungidos de modernidade que são.

As pessoas parecem robozinhos que se autoprogramam para serem legais, interessantes, modernas, aceitas. Existem vários símbolos desta verdadeira histeria modal: jogar golfe está se tornando uma delas. Mas tem muito mais. Fumar charuto, entender de vinhos (no meu tempo bastava bebê-los), celular com câmera, um tal de iPod que eu não sei bem o que é, mas todo mundo tem (ou tem de ter), até escrever um blog está na moda. Ouvi dizer, inclusive, que o baile de debutante está voltando e o uso de beca nas formaturas também. Se fossem cerimônias com conteúdo emocional, verdadeiros ritos de passagem, tudo bem. Mas não. É tudo moda, tudo feito sem compromisso e sem preocupação com adequação pessoal.

É, mas meu filhote de ouro não entra nessa, não. É um homem maduro, seguro, sabe o que quer. Não se deixa levar por modismos e é preocupado com suas verdadeiras necessidades. Ele sabe muito bem viver apenas com o que é fundamental, com o estritamente necessário. A bem da verdade, ele não tem outra alternativa, já que não tem um tostão furado. Aliás, estar falido também está na moda.



 Escrito por Sarah Szklo, mãe orgulhosa às 15h17
[Comente] [envie esta mensagem]




MELHORES MOMENTOS DO JOGO

Chantilly com guaraná

Caro colega do Blog da Sarah, está todo mundo falando tanto deste casamento que eu resolvi meter a minha colher neste chantilly.

O casamento do século, apesar de o século estar apenas começando, foi um evento quase esportivo. Eu explico. Não entendo neris de pitibiriba de futebol, mas assessorada por meu precioso filho, às vezes ouso alguns comentários. Afinal, tanta gente na televisão que entende tanto quanto eu e ainda ganha salário pra falar, enfim, isso é outra história, deixa pra lá.

Não sei como foi lá dentro, porque ninguém pode fotografar, mas já imagino. Como num camarote de carnaval, só entrava quem estava vestido com a camiseta do patrocinador.

O jogo começou meio truncado, com muita marcação da segurança, homem a homem, pra não deixar a imprensa jogar. Usaram uma tática meio retranqueira, só com jogadores de marcação. Não tinha inteligência no meio de campo.

Mas quando a Daniela viu uma adversária invadindo sua área, partiu para o ataque. O Fenômeno preferiu ficar recuado, para não correr o risco de um contra-ataque. Daniela avançou com garra e determinação e chutou pra fora. Mandou Caroline mais cedo para o chuveiro. Levou cartão vermelho. Parece que ela estava irregular em campo. Quase ninguém da torcida viu a jogada, que foi muito rápida. E, como estavam no estádio, não tinha replay para conferir.

Gostaram do meu comentário? Te cuida, Casagrande!



 Escrito por Sarah Szklo, mãe orgulhosa às 10h33
[Comente] [envie esta mensagem]


© 2004-2007 Ópera Bufa Editora - Todos os direitos reservados